Tipos de chocolate para o Valentine’s Day

Que tipos de chocolate podem ser dados (ou recebidos) no Valentine’s Day (estilo japonês)?

Anúncios

Hoje, além de Quarta-feira de Cinzas, é Valentine’s Day (para os brasileiros que se importam com isso). Vocês devem se lembrar do que garotas japonesas fazem nessa data e como elas fazem (ou podem fazer) isso.

Esse é o meu presente de amor para você… Kurosawa Ruby, de Love Live!, arte por Yopparai Oni.

Enfim, considerando que você já leu sobre essas coisas aqui no blog (se não leu e não quer ler os links lá em cima, veja nota 1 no rodapé) e tem um pouco de noção de animes, ESSA POSTAGEM É PARA VOCÊ! Se você nem se interessa por animes e nem pelo que japoneses fazem no dia 14 de fevereiro, pelo menos fique pelo chocolate. Se não gosta de chocolate,

Então, que tipos de chocolate você poderia ganhar hoje? (considerando uma hipótese que você siga costumes japoneses e tenha namorada(o).) (referência: minha mente e meus 9 anos de experiência com animes)

Chocolate ao leite (o comum)(comprado pronto):

Asashio, Kantai Collection. Arte por Kayuma.

Aquele sabor gostoso presenteado por uma pessoa que gosta de você de verdade.

Chocolate comum (ou nem tão comum)(feito em casa (veja nota 2)):

Takayama Sayoko, Idolmaster. Arte por Megurumiru.

Vem do tipo de pessoa que se esforça para (tentar) fazer você ficar feliz. Se for bom, é o tipo de pessoa que também se importa com o seu bem estar. Se não estiver tão bom, tente ajudá-la a fazer o chocolate no ano seguinte, essa pessoa pode ter dificuldades (ou só alma de artista) (Nota: em caso de problemas estomacais, procure um médico)

Aquele chocolate barato:

Miyazuki Yozora (uma legítima amiga de infância), de Boku wa Tomodachi ga Sukunai. Arte por Hews Hack.

Vem da amizade de infância. Já são tantos anos de convivência que você tem coragem de criticar na cara… Mas sente falta quando a pessoa não está ao seu lado.

Chocolate meio amargo (ou amargo por fora e doce por dentro):

Akebono, também Kantai Collection (tsundere). Arte por Yuki to Hana.

Quando a pessoa não admite os sentimentos e parece fria com você mas, no fundo, te ama (tsundere).

Chocolate apimentado:

Letty Whiterock, Touhou. Arte por Cato (monocatienus). As outras imagens desse tipo eram pervertidas demais.

Quando a paixão (e a vontade de ir para um lado “mais quente” da relação) é maior.

Chocolate sangrento:

Aragaki Ayase, (yandere de) Ore no Imouto (oreimo pra abreviar). Arte por Layov.

Da pessoa que jurou matar qualquer um que tentasse se intrometer no amor de vocês e que pode te matar caso você não coma o chocolate que ela te deu com tanto carinho. O gosto de sangue é das “inimigas” que tentaram te entregar chocolate antes (e foram derrotadas pelo caminho).

Chocolate sem lactose:

Arte original por Roll (okashi).

Eu ia falar que é aquele tipo de relação falsa (mas isso poderia ofender alérgicos a lactose). Na verdade, poderia ser mais como um relacionamento de manias, regras ou costumes bem definidos.

Chocolate branco:

Remilia Scarlet, de Touhou. Arte por Nikku Ra

Fica para o White Day (14 de março) porque… Bem, é o costume deles.

ClaMAN

Nota 1: Resumo: No Japão, no dia 14 de fevereiro, as garotas costumam dar chocolates às pessoas próximas (não precisa ser necessariamente namorado ou paixão). Claro que para os garotos japoneses (dos animes)(a maioria são nerds virjões), ganhar chocolate de uma garota é um presente e tanto. Lembrando que, no dia 14 de março, ele precisa retribuir com um chocolate branco.

Nota 2: Segundo a cultura dos animes, algumas garotas acham que a melhor maneira de mostrar seu amor para um garoto é fazendo o chocolate à mão. Não me pergunte se elas fazem do zero ou só derretem as barras prontas e moldam do jeito que quiserem.

Continue Lendo “Tipos de chocolate para o Valentine’s Day”

Animes de 2017 – o resumo final (inclui garotas de anime) em roupas natalinas

Listão dos animes de 2017 que eu assisti (incluindo fanarts e imagens de personagens no clima de Natal)

Ano acabando, é hora de começar a se preparar para os lançamentos de 2018. Se teve várias estreias de filmes e séries esse ano, no mundo japonês de animes, mangás e tals não vi títulos extremamente populares (ano passado, por exemplo, teve Re:Zero, esse ano não teve)(fora isso, a maior parte de fanarts foi de jogos para celulares como Azur Lane e Fate/Grand Order, o que é um indicador de que esses jogos estão mais populares (no Japão e entre os artistas) do que animes regulares).

Não teve temporada de Re:Zero, mas tem fanart de natal. Arte por Xiao Yao Xiong.

Enfim, mesmo assim tivemos alguns destaques. Desses destaques, alguns tiveram episódios com temática natalina (embora seja realmente estranho ver episódio sobre Natal em março, por exemplo). Continuemos a celebrar o Natal revendo essas cenas (ou fanarts natalinas, na falta de cenas).

Continue Lendo “Animes de 2017 – o resumo final (inclui garotas de anime) em roupas natalinas”

Respondendo a dúvidas sobre o Papai Noel

Todo Natal tem o Papai Noel aparecendo. Mas que tal lermos mais sobre esse velhinho barbudo de vermelho?

Como todos (ou pelo menos a maioria dos cristãos e povos ocidentais) devem saber, daqui a dois dias é Natal. O Natal é a festa que celebra e relembra o nascimento de Jesus Cristo, segundo a tradição cristã, mas o ser mais popular que simboliza o Natal é Papai Noel.

Desenho vetorizado de Papai Noel.

Papai Noel, Santa Claus, Bom Velhinho, aquele cara barrigudo de barba branca que tem em quase todo shopping center. Segundo a lenda, ele é um senhor gorducho de barba branca de roupas vermelhas e gorro natalino que mora no Polo Norte (mais especificamente ao norte da Finlândia, segundo o Wikipedia, ou no Alasca, segundo os estadounidenses).

É dito que ele possui uma oficina de brinquedos (atualmente, deve ser uma importadora para atender também a pedidos de artigos eletrônicos e videogames, mas enfim), onde trabalham (se é remunerado, não sei dizer) elfos para produzir os artigos para as crianças.

Uma visão disneyística da fábrica/oficina/o que quer que seja do Papai Noel.

Aliás, lembremos que Papai Noel atende a pedidos de crianças ao redor do mundo, por meio das cartas (manuscritas enviadas pelo correio – nada de WhatsApp) que recebe. Se a criança foi bem comportada durante o ano (como é que ele sabe, por espionagem? Papai Noel é stalker…), então recebe seu presente de Natal.

Estive lendo aqui e parece que seu nome não está na minha lista de crianças bem comportadas… (ignore que a lista está repleta de nomes de domínios de internet)

Para as entregas, Papai Noel adota um sistema bem peculiar. Em vez de ter centros de estoque próximos aos consumidores finais (as crianças) e usar diversos meios de transporte adequados a cada região, Papai Noel prefere entregar os presentes pessoalmente, usando um trenó (bem, ele mora numa região que é gelo o ano todo, então lá funciona) puxado por renas que voam (e assim resolve o problema que seria andar com um trenó por locais sem neve), carregando os presentes num grande saco vermelho (logo, Papai Noel seria uma versão de homem do saco?).

31 horas para entregar presentes ao mundo todo = é preciso voar muito rápido MESMO.

Sem nenhum bom senso, Papai Noel entra pela chaminé (e se não tiver chaminé? Dizem que é pela janela, ou também pode ser usando magia e entrando pela porta) das casas para deixar o presente das crianças em meias na lareira (ou debaixo da árvore de Natal, ou embaixo da cama). Se encontrar biscoitos, come-os (de novo, sem nenhum bom senso).

Papai Noel invadindo, quer dizer, visitando uma casa para entregar algum presente (na verdade, pode ser um ladrão disfarçado, mas aí é outro problema).

Essa é a rotina do Papai Noel em época natalina, segundo contam.


Agora, sem mais delongas, vamos tentar responder a dúvidas:

P. Papai Noel existe?

R. Sim. Você não vê fotos dele, histórias dele e o próprio Papai Noel em shoppings e lojas? Então existe. Assim como personagens de animes existem. Se quiser outra opinião, leia aqui.

P. Ouvi dizer que Papai Noel é São Nicolau. Tá certo?

R. São Nicolau é um santo que viveu no século III. Papai Noel surgiu em torno de 1800, associado ao “Father Christmas” (Pai Natal em tradução literal) que era a representação do espírito de Natal. Uma história se funde com a outra (por exemplo, a história de que São Nicolau jogava dinheiro e comida aos necessitados pelas chaminés de suas casas (pergunta paralela: e quem não tinha casa?) e as roupas do “Father Christmas” serem semelhantes a do atual Papai Noel) e dá nisso.

P. Papai Noel é comunista? Ele tem barba, só se veste de vermelho, dá coisas pra todo mundo (como diz a música, “Seja rico ou seja pobre, o velhinho sempre vem)…

R. Ele só é um senhor generoso mesmo. Ou assim espero que seja. Aliás, segundo as histórias (e o Wikipedia), ele já teve roupas verdes, mas a Coca-Cola impulsionou o visual vermelho dele. Ou seja, se a Coca-Cola tá no meio, é lógico que ele não é comunista.

P. Qual é o endereço do Papai Noel? Quero mandar cartinha pra ele.

R. Se você estiver no Canadá, pode mandar para o código postal H0H 0H0. Na Finlândia, mande para Santa Claus Main Post Office, FI-96930, Arctic Circle, Finland. No Brasil, depende da região (afinal, com aquele casaco, Papai Noel não deve ficar muito tempo por aqui), veja em alguma agência dos Correios (ou entregue na própria agência, deve dar certo).

P. Não fui uma criança bem comportada esse ano. O que vai acontecer comigo?

R. Segundo a maioria das histórias, vai ganhar galhos ou carvão (é o que Papai Noel vai encontrar em sua lareira, se você por acaso tiver uma lareira em casa). Pode ser alho também (pra você temperar melhor sua vida). Não sei de nenhum castigo pior, então fique tranquilo (e se esforce para se comportar melhor e ganhar seu iPhone 8 no ano que vem).

P. ClaMAN, o que você pediu ao Papai Noel?

R. Férias.


E assim acaba essa postagem sobre Papai Noel.

Papai Noel te desejando Feliz Natal.

ClaMAN

P.S.: Esqueci de falar que Papais Noéis são boas opções de emprego temporário para homens idosos (embora alguns jovens também acabem sendo Papais Noéis em época de necessidade), barbudos (embora exista barba postiça) e gordinhos (embora sempre possa ser usado enchimento ou mesmo alguma almofada). Essa época de dezembro rende bastante.

P.S.2: Natal não é tempo só de presentes, é tempo também de garotas em roupas natalinas.

Aí está a roupa, só falta a garota.
Pronto, aí está a garota. Hakurei Reimu, de Touhou. Arte por Da-Mii. Clique para ver no Danbooru.

Músicas orquestrais (made in BR) para sua noite

Peças orquestrais de compositores brasileiros para se desligar um pouquinho das músicas natalinas.

Todo fim de ano tem música demais para todo lado, não é? Nas lojas, no churrasco do vizinho, na praça do meio da cidade, na festinha da escola, na igreja… Entre músicas de Natal aqui e ali (aliás, já ouviu a Simone hoje?) tem vários estilos tocando em todo lugar (e eu ouvi sertanejo “sofrência” em uma loja de departamentos – imagine você tentando fazer compras e a música te fazendo lembrar de sua dor de cotovelo com algum velho amor…).

Comprovado pela ciência: o efeito que músicas natalinas causam no cérebro dura até fevereiro (quando começa o Carnaval, aí vem samba, axé e tals)

Enfim, hoje não é segunda pra ter música, mas vamos nos somar com o resto das lojas, das praças e do churrasco do seu vizinho e tocar umas musiquinhas. Todas de procedência nacional, aliás, nada de importados. E, como se não bastasse, vamos deixar de lado um pouquinho cantores solo, bandas de rock e corais para ouvir música de orquestra (de novo).

Começando o concerto:

Essa é a terceira dança (chamada Batuque) da suíte sinfônica Reisado do Pastoreio, do compositor Oscar Lorenzo Fernandez, composta em 1930. Tocada pela Orquestra Sinfônica Brasileira. Puro ritmo brasileiro (do século XX, note-se).

Acho que o nome Heitor Villa-Lobos não deve ser estranho, não é? Esse é o 4º movimento (Tocata) da Bachianas Brasileiras nº 2, também chamado de O Trenzinho do Caipira. Uma das peças famosas do compositor, feita em 1933. Também executada pela Orquestra Sinfônica Brasileira.

Carinhoso. Essa é uma das obras mais importantes da música popular brasileira, do compositor Pixinguinha (que, na verdade, se chamava Alberto da Rocha Vianna), que a compôs entre 1916 e 1917. A letra é de João de Barro. Essa é uma clássica que todo mundo sabe a letra pelo menos do refrão, e essa versão executada pela Orquestra Pixinguinha na Pauta só enriquece a música.

Ia falar mais, mas melhor deixar vocês ouvirem as peças.

ClaMAN

P.S.0: Tem outra que não está aqui, mas poderia: Mourão, de César Guerra-Peixe. Veja sobre ela aqui (é a quinta música).

P.S.1: Para aliviar um pouco das músicas de Natal. Tem hora que cansa só “Bate o Sino, Então é Natal, Noite Feliz”…

P.S.2: Eu podia pegar mais algumas músicas também, só que vou tocar em uma missa daqui a pouco e preciso me arrumar.

P.S.3: Lá vem a clássica pergunta de português:

Sabendo que olhos não sorriem e o coração não sente felicidade, explique qual é a figura de linguagem usada nos versos “Meu coração não sei por quê bate feliz quando te vê” e “E os meus olhos ficam sorrindo”.

31 de Outubro e mais seres sobrenaturais (de animes) que parecem crianças

Criaturas sobrenaturais, muitas delas com mais de um século de vida… Mas com carinha de crianças! Só em animes…

Hoje é o Dia das Bruxas, ou Halloween (para os gringos)!

Nada melhor que uma imagem de Marisa Kirisame, feiticeira de Touhou, como representante do dia de hoje. Arte por Chiroru (Cheese-roll)

Nos EUA, principalmente, hoje é dia de crianças se fantasiarem de fantasmas, bruxas, vampiros, monstros e outras esquisitices para pedirem doces por aí. Como eu já disse (e não terminei) em outra postagem, mesmo que os japoneses não pareçam ter essa mesma tradição, tem inúmeros casos de seres sobrenaturais representados com aparência infantil em animes, mangás e afins. Muitas vezes, esses personagens na verdade já tem mais anos de vida do que a Guerra dos Cem Anos (que durou 117 anos). Vamos ver mais 3 deles (ou delas, melhor dizendo):

Krul Tepes – Owari no Seraph

Pose e circunstância. Arte por Manami Tatsuya.

Assim como as três anteriores, ela também é uma vampira. Também parece uma garota pré-adolescente (mesmo que sua idade seja estimada em mais de 1200 anos (segundo a Wiki)). Também é orgulhosa e sente-se superior (embora ela tenha razões para ser superior: no mundo de Owari no Seraph, ela é a vampira rainha do Japão (após um vírus que matou muita gente e tals)). (Será que tem algum motivo para vampiras serem retratadas como garotas pré-adolescentes? Isso é um assunto digno de postagem futura)

Naruse Maria – Shinmai Maou no Testament

Parece uma garota adorável… Arte por Nozomi Tsubame.

Essa carinha inocente e aparência de menina recém saída da infância, na verdade, é só disfarce para uma demônio (para ser mais específico, uma súcubo), com a mente mais pervertida que muito personagem de anime harém por aí. Ela vive provocando e incitando os personagens da história, e não perde oportunidade para usar suas magias e contratos (eróticos na maior parte do tempo) (e ainda filma os “processos”).

Higashihongan Sanae – Rokujouma no Shinryakusha!?

Uma companheira de quarto do além. Arte por Peeyu.

Um jovem estudante consegue alugar um pequeno apartamento por um preço bom até demais. O problema é que ele não demora muito para descobrir que o quarto dele é assombrado por essa fantasma aí de cima, que quer a todo custo que ele (ou qualquer outro inquilino) saia daquele local (depois eles viram amigos). Fora isso, uma sacerdotisa de uma tribo estranha, uma alienígena e uma garota mágica também estão de olho no mesmo quarto, mas aí passa de assombração para harém.

Essas são só algumas personagens… O mundo dos casos em que as aparências enganam é muito mais vasto.

ClaMAN

P.S.: Daqui a pouco tem mais Halloween. Sem ser de anime.

B Ô N U S :

Bakemonogatari de novo (aproveitando que o assunto é fantasmas): essa é Hachikuji Mayoi, uma assombração “perdida” (assista para entender). Seu passatempo preferido é falar errado (sem ser de propósito) o nome do protagonista. Arte por Ogipote.

Diário (inútil) do ClaMAN #9

Diário #9 e os vícios do ClaMAN (que não envolvem fazer postagens, obviamente).

Cá estamos nós (ou apenas eu), após dezessete dias de ausência, para mais uma edição desse diário que nunca teve propósito de ser um diário.

Imagem ilustrativa. O ClaMAN não é a Xin Hua (mais uma cantora virtual de Vocaloid), não está comendo tangerina e nem cria ondinhas de luz e coraçõezinhos enquanto escreve. Arte por Qian Wu Atai.

Bem, enfim, como vão? O tempo anda escasso, como todo fim de ano, cheio de afazeres, estudos e procrastinação outras coisas. Isso acaba piorando quando se adquire uns vícios novos…

  • Vício em ler mangás: Problemas de som no meu computador estão me impedindo de assistir animes, então resolvi tirar o atraso e ler os mangás que estavam na minha pilha de leitura. Agora tornou-se normal ficar acordado até tarde lendo… Ainda mais com o lançamento da novel de Re:Zero…
  • Vício em estudar Python: Existe uma linguagem de programação chamada Python (que, de cobra, não tem nada) que vem se popularizando por aqui. Acabei estudando até demais essa linguagem (estou quase traindo o Java) e esquecendo de outras coisas.
  • Vício em tocar na igreja: Isso não se encaixa em um vício, mas sim em um hobby que virou um serviço (voluntário). A questão é que, graças a esse dom (dom?), eu acordo cedo praticamente todo domingo. Bem, ainda não reclamo.
  • Vício em dormir: Nada melhor do que, quando arranjo tempo entre mangás para ler, missas para tocar e programas a codar, cair na cama e dormir.
Boa noite. Arte por Zetsuriinu.

Até amanhã. Teremos especial de Halloween sim.

ClaMAN

P.S.: Não queria fazer um diário de Halloween – mas, por sorte, consegui publicar isto antes da meia-noite.

Sexta-feira 13 e seres (de animes) que parecem crianças

Um dia depois do Dia das Crianças… Seres sobrenaturais que só parecem crianças

A segunda sexta-feira 13 de 2017. Mais um dia para quem sofre de parascavedecatriafobia ter problemas, um dia considerado de azar para alguns (e de sorte para outros, como habitantes da Itália) e, enfim… Uma sexta-feira pós-feriado.

Sorria, pois é sexta-feira 13

Hoje, como sempre, é dia de falar de coisas sobrenaturais, talvez aterrorizantes. Vampiros, súcubos, fantasmas… Animes, assim como outras mídias, trazem esses tipos de figuras tenebrosas de montes, mas talvez não em uma forma convencional… Como ontem foi dia das crianças, aqui estão 2 personagens de animes que parecem crianças, mas provavelmente são mais velhas que sua avó.

Oshino Shinobu – Bakemonogatari

Nem parece uma criatura sobrenatural, não é? Arte por “Is II”.

Essa garotinha inocente que usa óculos de aviação e adora donuts não parece, mas tem 300 anos de idade (ou mais) e é uma vampira realmente poderosa (cujo nome completo, quase impronunciável, é Kiss-shot Acerola Orion Heart Under Blade). O problema é que ela acabou perdendo seus poderes e sua forma original (que não é nem um pouco infantil). Mesmo parecendo ter apenas 12 anos (+ ou -), tem um orgulho próprio imenso.

Flandre e Remilia Scarlet – Touhou Project

Uma controla o destino, a outra destrói coisas… Quer irmãs vampiras mais agitadas que essas duas? Arte por Amakaze Sora.

Essas duas você já deve ter visto: duas irmãs vampiras, a mais velha (Remilia, à esquerda) tem 500 anos e a mais nova (Flandre, à direita) tem “apenas” 495. Claro que a aparência das duas também é bem infantil (11 anos, por aí), e a atitude (uma tem um carisma gigante, a outra quer apenas brincar) não ajuda a pensar na real idade delas. Como nota, uma tem a habilidade de controlar o destino, e a outra… Destruir coisas.

ClaMAN

P.S.: Parte 2 amanhã. Ou não.