Festas juninas

Postagem sobre festas juninas em puro sotaque (estereotipado) de caipira procêis.

Anúncios

Aviso: essa postagem contém sotaque estereotipadamente caipira.

O arraiá começô, cumpadi!

Já que tâmo em junho, o que tem em um monte de lugar é festa junina (purquê se fosse em julho, seria julina, uai sô).

Mas… Por quê qui é junina? Num podia sê em outro mêis? Aí eu é que te exprico, cumpadi: é que junho é o mêis que tem um monte de dia de santo: Tem as festa de Santo Antônio, o santo casamenteiro, no dia 13 (oia só, um dia depois do dia dos namorado!). Depois, o santo festeiro (e o santo qui também dizem qui deu nome pra festa), São João, dia 24. E, por úrtimo, 29 de junho é dia de São Pedro.

Óia os mister e as miss caipirinha do ano!

Essas quermesse é tudo de bão, num é, cumpadi? De comida, vai tê tudo quanto for coisa de milho (bolo, pamonha, curau, pipoca e o que mais ocê lembrá), cuscuz, paçoquinha, arroz doce, pastel (pera, isso foi o povo da cidade que trouxe), pé de moleque… De bebida tem quentão e vinho quente pra aquentá, hehe.

E num é só de comida que nóis se diverte, intão tem um monte de brincadeira típica, fora as música (forró, baião e outras modinha que o sanfoneiro quisé tocá) e, claro, a quadrilha!

Num vai pensá naquelas quadrilha de bandido não! Quadrilha de festa junina é dança, que veio lá da França e virô tradição pros lado de cá. E pode dançá de tudo quanto é jeito, quem quisé: muié, home, criança ou vovô, só num dá pra dançá sem par. A ponte quebrô! É mintira!

Fogueira, pau de sebo e pescaria são outras coisa qui tem em umas festa junina por aí. E o correio elegante, pra paquerá as caipirinha… Tem uns qui bota inté bingo no meio da festa (depende da sorte)! Tinha balão também, mas hoje em dia é perigoso dá incêndio, intão vamo só ficá com balão de mintirinha.

Taí umas ideia procê decorá sua festa junina, cumadre. Esse num tem perigo de pegá fogo.

Agora é hora de aproveitá a quermesse! Vai procurá a festa mais perto docê, cumpádi!

CraMâm

P.S.: Peço desculpas (ou não) a todos os caipiras ou a aqueles que falam com sotaque caipira e se sentiram ofendidos com a postagem.

P.S.2: Festas juninas são mais populares em igrejas (por seu sentido religioso e pelo valor arrecadado com venda de comidas e tal) e escolas do fundamental (porque é bonitinho ver as crianças dançando quadrilha e, para alguns, é a única vez na vida que vão poder ficar de mãos dadas com uma garota, dançar com ela e ainda chamá-la de “par”).

P.S.3: Essa postagem era para ser publicada na quarta (que foi um dia depois do dia de Santo Antônio), mas uns remédios para uma tosse chata e um estômago em crise me deram uma sonolência braba. Estou melhor agora.

B Ô N U S :

Uma fanart de uma “fazendeira” conta como representação de caipira em anime? Espero que sim. (Kazami Yuuka (ou USC) de Touhou, arte por Mokku)

Imagem e Postagem – 2ª temporada #7

Fantasias: uma maneira de ser, por uns instantes, aquilo que admiramos.

O tema de hoje é: Fantasia (para quem quiser outro termo, sugiro cosplay).

Oras, não é bacana vestir-se como um personagem? Ou apenas ver como outras pessoas conseguem investir tanto dinheiro para tornarem-se tão semelhantes quanto possível de um personagem? (tá certo, isso é o que eu chamaria de “fugir da realidade”, mas hoje eu quero fugir das postagens de reflexão e fazer algo mais leve.).

Exemplo de cosplays. À esquerda, o personagem original do anime. No centro, (tentativa de) cosplay com pouco orçamento (vulgo “cospobre”). À direita, cosplay com qualidade (e procedência) oriental (só pra humilhar).

Vestir-se como um personagem e ter um momento de “ser” o personagem é uma coisa interessante: pelo menos por algum tempo na sua vida você vai poder ser algo que admira. Igual a crianças que vestem-se com as roupas dos pais para sentirem-se mais adultas (coitadas… Quando chegarem à idade adulta vão querer voltar a ser crianças). Igual também a tentar imitar gestos e hábitos de personagens, artistas e tals que você gosta, respeita ou gostaria de ser como eles.

Aí, enfim, temos a imagem de hoje, resumindo tudo isso:

O Rei Gatão, ou o Rei da Casa.

ClaMAN

P.S.: Talvez eu devesse fantasiar meus gatos desse jeito. Quem sabe eles se animam um pouco mais (e fazem algo além de dormir o dia todo)?