Julgamento do seu celular

Não é correto julgar os outros, mas quando se vive em sociedade… Não tem jeito: até o celular é julgado.

Anúncios

Já que julgamentos estão no auge nos últimos dias, vou mostrar que qualquer coisa (MESMO) acaba sendo julgada por qualquer um. Quer um exemplo óbvio? Celulares.

Sim, exatamente aquele aparelho que você usa para tirar selfies e mandar mensagens pelo WhatsApp. Arte por Houmatu Awa

Celulares são itens pessoais (e deveriam ser intransferíveis, mas aí é outro detalhe). Como qualquer item pessoal (assim como roupas, penteado, acessórios, bolsas/mochilas e etc), um telefone celular evidencia preferências e personalidade de seu dono. Alguns mais “julgadores” vão se aproveitar disso para descobrir sobre você (e, claro, te estereotipar).

Eu, como não tinha nada para fazer (além de revisar histórias, estudar para duas provas e resolver listas de exercícios), juntei coisas que pessoas normalmente julgam em celulares alheios, mesmo que não seja certo ter tais tipos de preconceitos apenas a partir de um pedaço de plástico+metal.

Tipos/modelos de celulares:

iPhone: Dependendo da pessoa, prevê-se que tem dinheiro… Ou pelo menos finge ter (é a opção mais imaginada por muitos). Se usar capinha protetora (veja mais sobre capinhas abaixo), como não quer enfatizar que é um iPhone, ou é um modelo de iPhone mais antigo (aí evidencia a falta de dinheiro para comprar um iPhone 7 de R$ 3600) ou a pessoa deve ser designer de alguma coisa, ou (de novo) pelo menos finge ser. Talvez seja hipster.

Samsung Corby (também se aplica a outros celulares que tinham a proposta de serem baratos com aparência ou função diferenciada): Provavelmente a pessoa se achava descolada. Só se achava, porque o Corby era bem barato e tinha especificações bem simples (bem, é um celular de 2009). Se algum desses ainda funciona, julga-se que o dono tem problemas financeiros (e, se ainda se achar descolado por ter um desses, também deve ter problemas psicológicos).

Qualquer feature phone: Mesmo que a pessoa tenha idade abaixo de 40 anos, será julgada como sendo muito mais velha, pois um celular desses hoje em dia é visto como obsoleto (Touchscreen? Não. WhatsApp? Não. Câmera frontal ou de alta resolução? Não. 4G, WiFi? Não. Play Store? Não.) e usado apenas por quem não se dá bem com tecnologias mais novas (esquecendo-se do fato que, para quem faz ligações com mais frequência do que qualquer outra coisa, esse tipo de aparelho é excelente).

Sistema operacional/Linhas de modelos:

Windows Phone: Não importa o quanto a pessoa diga que é bonito, simples e leve (em termos), os números julgam o portador de um smartphone com sistema operacional Microsoft (provavelmente um Lumia): 1,43 milhões de apps na Play Store (e 95,5% de Androids no mercado) contra 300 mil apps na Windows Store (bem, praticamente nem vendem mais celulares WP). Fora as piadas que, se é Windows, não funciona direito…

Blackberry (ainda existe?): antigamente, quem tinha um desses era visto como algum empresário, provavelmente com agenda cheia de compromissos importantes. Aí veio o iOs com Siri e o Google com a Now, fora trocentos apps e coisas novas em outros modelos… O julgamento para os Blackberries agora deve ser: “Nossa, ele ainda usa essa coisa…”

Acessórios e aparência do aparelho:

Capinhas: Quanto mais discreta, julga-se que a pessoa ou gosta da aparência original do aparelho, ou que tem cuidado com a conservação do celular, ou que comprou um celular frágil e precisa da capinha pois, se ele caísse sem essa proteção, compensaria mais comprar um novo celular do que consertá-lo. Agora, se a capa tem estilo próprio, já se entende que a pessoa que é dona do aparelho nunca planeja guardá-lo no bolso (depois é assaltada e a culpa não é dela) e nem usar o celular intensamente.

Tela trincada/rachada/quebrada em geral: Pode ter sido um mero deslize e pode ter sido no dia anterior, mas é óbvio que ninguém vai querer saber disso. Afinal, a tela é o celular inteiro hoje em dia, e se a pessoa não tem um pingo de cuidado com seu celular, vai ter com qualquer outra coisa? Quando passa mais de 1 hora e o celular não foi para o conserto ainda, então a pessoa não tem capacidade financeira de manter um smartphone.

Aí está um exemplo de coisas de casais que serão julgadas como ridículas ou fofas dependendo do tempo de namoro e do ideal romântico de quem vê.

Papel de parede: Temos categorias de julgamento automático aqui:

  • Foto da própria pessoa: egoísta e narcisista. Pontos extras se for selfie.
  • Foto da pessoa com outra(s) pessoa(s) (seja namoro ou amizade): não consegue viver sozinha, muito carente. Pontos extras se estiverem se beijando.
  • Foto de personagem de filme, anime, desenho ou nome de banda ou coisa assim: odeia a própria realidade, vive só sonhando e fugindo da vida real através de jogos e coisas estranhas, talvez seja emo ou depressivo.
  • Foto de paisagem ou foto genérica do celular: sem criatividade.
  • Foto de outra pessoa (real, próxima): Stalker ou outro caso de carência.

Então, o único jeito de escapar do julgamento alheio é tendo um Android sem capinha em perfeito estado de conservação e papel de parede de algo que a pessoa goste? Na verdade não, nesse caso te julgariam como sendo normal demais.

Então, o único jeito de escapar do julgamento alheio é não tendo celular? Também não (vão dizer que é uma pessoa estranha e deslocada ou que não sabe lidar com tecnologia), o único jeito mesmo de evitar ser julgado por outros é não viver em sociedade.

ClaMAN

P.S.: Sejam pessoas conscientes: não julguem os celulares alheios.

P.S.2: Sobre o P.S. acima, é como se eu dissesse: Façam o que eu digo mas não façam o que eu faço.

E então eu resolvi assistir Avatar…

Depois de mais de um ano ouvindo falar de Avatar (o desenho), ClaMAN assistiu e falou o que achou.

Avatar - O Último Mestre do Ar. Imagem nada a ver de hoje. Só coloquei porque a animação foi feita em estúdios sul-coreanos.
Avatar – O Último Mestre do Ar. Se você achou que era aquele filme dos seres azuis, se enganou.

Como raios eu fui assistir isso: Coruja, estagiário-chefe desse blog e amigo meu e do Darmstadtio, vivia falando que Avatar é uma animação interessante, com significados complexos, contextos socio-culturais históricos, e fez questão de me passar a série inteira (três temporadas) para baixar em torrent.

Até onde eu assisti isso: Episódio 15 da primeira parte (assistido há duas semanas).

Pretendo continuar assistindo: Sim (depois que terminar Ore no Imouto e mais uns 20 animes pendentes). Porquê? Tenho que ver as cenas yuri de A Lenda de Korra!

vlcsnap-2015-03-09-21h06m37s185Água, fogo, terra, ar. Há muito tempo, as 4 nações viviam juntas em harmonia, mas tudo mudou quando a nação do fogo atacou. Somente o Avatar, mestre dos 4 elementos, poderia detê-los. Porém, quando o mundo mais precisava dele… Ele desapareceu.

vlcsnap-2015-03-09-21h06m21s9Cem anos depois, Katara e Sokka (irmãos) encontraram o avatar – um dobrador de ar, chamado Aang. Então, eles seguem juntos por várias vilas, enfrentando dobradores de fogo e resolvendo problemas de aldeões, com o objetivo de acabar com a guerra promovida pela nação de fogo.

Meus comentários (sobre o 1º episódio) foram:

  • vlcsnap-2015-03-09-21h13m38s25Feminismo e machismo
  • Maus tratos a animais (montar num bicho gigante voador de 6 patas é abuso sim!)
  • Orgulho hétero
  • Desenvolvimento extremamente rápido (e no episódio 1 eles já estão em altas confusões)

Depois, lembrei-me do tempo em que tinha 13 anos e meu passatempo era assistir episódios de Ben 10 aleatórios que baixava no tempo em que o MegaUpload tinha espera de 45 segundos.

vlcsnap-2015-03-09-21h19m40s70É um desenho para entreter jovens adolescentes? Sim, mas tem alguns significados mais profundos. Tendo lá seus 12, 13 anos não dá pra notar e tendo 19 também não. A proposta é simples: histórias curtas, que começam e acabam em um episódio, e alguns arcos de 2 episódios. Cada história tem uma moral e um final feliz e bonitinho. Ah, fora o graaande vilão, que quer capturar o pobre Aang custe o que custar!

vlcsnap-2015-03-09-21h25m32s6Sim, clichê, até então simples. Sua vida não vai mudar completamente ao ver essa série (a não ser que você seja o Coruja). Porém, não estou dizendo que não gostei. Até o ponto em que assisti, a história era isso, mas tem outras duas temporadas pela frente.

vlcsnap-2015-03-09-21h43m39s44Para fins de entretenimento, cumpre a premissa. Não entendo o suficiente de mensagens nas entrelinhas para falar sobre os sentidos filosóficos de Avatar, ou mesmo o contexto histórico. Quer ver uma review decente? Pode ver aqui, aqui ou aqui, também aqui e aqui.

vlcsnap-2015-03-09-21h50m31s152Tem cenas de luta legais? Sim. Tem personagens bem caracterizados? Sim. Tem uma boa animação? Não na versão mal encodada que eu vi, mas sim. O que me impede de ter a mesma opinião que as resenhas ali de cima? Talvez a minha não-preferência por histórias de ação e guerra e minha base cultural relacionada a animes estranhos.

E então, eu resolvi assistir Avatar. Não perdi meu tempo. Mas não achei tudo isso que falaram para minha pessoa. Resta terminar e ver se mudo minha opinião.

ClaMAN

P.S.: Formem fila aí nos comentários os que discordam da minha opinião e querem me esganar.

P.S.2: E se eu disser que a primeira coisa que eu reclamei foi por ser dublado? Porém, o Coruja é um estagiário tão bom, que o torrent que ele me recomendou veio com todos os arquivos dual audio, e ainda legendas!