Dia do Rock (dessa vez temos mais vídeos do que em 2016)

Quatro (e mais uma bônus) músicas para mostrar (de novo) diversos lados do rock.

Rockeiros de plantão, comemorem: hoje é o dia do estilo que vocês tanto amam. Enquanto isso, para os fãs de sertanejo, funk, axé, samba, pop… Aguentem seus vizinhos rockeiros ouvirem Dawn of Victory ou outras coisas mais “barulhentas” o dia todo.

This is Rock, baby! Kantai Collection, arte por Darkside.

Enfim, como minha preferência pende mais para o rock do que para outros estilos, aqui está a tradicional postagem sobre o Dia Mundial do Rock. Aumente o volume.


Para começar a postagem, sempre mostrando que o Utilis Inutilis sempre está a par das notícias sobre o Brasil, essa música nacional que sempre representa tão bem nossos políticos…

Now Playing: Que País é Esse – Legião Urbana

Se puderem, ouçam também essa versão ao vivo do Capital Inicial.

A segunda música é outra clássica do rock, para aqueles que dizem que o rock cultua demônios, só fala do inferno e tals. Entendam que não é bem assim (senão não existiria rock gospel). Também se fala de sentimentos, de amor…

Now Playing: November Rain – Guns N’ Roses

Na verdade, eu colocaria aqui Stairway to Heaven, do Led Zeppelin, mas acho que November Rain é mais tocante.

Vamos à terceira música do dia: para aqueles que ainda não toleram rock de jeito nenhum (por achar que é igual a gritos, batidas ensurdecedoras e guitarras em solos estridentes) entendam que rock é diferente de heavy metal. O segundo é uma vertente do primeiro e, mesmo assim, não significa barulho infernal. Temos um estilo formado de muitos estilos e com muitas músicas distintas dentro dele…

Now playing: Imagine – John Lennon

(Nota: para quem disser que não é rock, no Wikipedia tá falando que é soft rock. Problemas?)

Para terminar, o rock é um estilo famoso mundialmente – difícil não ter noção do que é pelo menos uma música de rock, ou não conhecer algum riff ou solo popular. Assim como tem bandas despontando a cada hora, em alguma garagem, tem outras que já tem seu legado gravado na história.

Afinal, quem nunca ouviu essa introdução? Ou essa, por exemplo?


Se achou que esse ano foi fraco, então que tal complementar com postagens passadas? >> 2016 / 2015 / 2014 / 2013 / 2012

ClaMAN

P.S.: Nem só de inglês e português vive o rock no Utilis Inutilis…

B Ô N U S :

Momento história: O que foi a Revolução Constitucionalista de 1932

Um pouco (demais) sobre o que foi a Revolução Constitucionalista de 1932 (que é feriado para os paulistas)

Então, hoje é feriado (num domingo, ou seja, não muda nada). Na verdade, só é feriado para quem mora em uma das 645 cidades de São Paulo, pro resto do Brasil é só mais um dia comum (ou melhor, um domingo comum).

Bem, se é feriado (para os paulistas), então deve existir uma razão histórica para isso, não é? Sim, é o dia em que eclodiu (leia-se: começou) a Revolução Constitucionalista de 1932.

REVOLUÇÃO! (Na verdade, não foi bem uma revolução, foi mais algo como um movimento armado mesmo)

Não entendeu? Então… Hora de começar o momento história (contado por um cara que estuda Análise e Desenvolvimento de sistemas e dormia em aulas de história).


Antes de falar de 1932, vamos falar da República Velha ou República do Café com Leite. Era aquela república que Marechal Deodoro proclamou em 15 de novembro de 1889 (aguardem postagem sobre isso depois), e vinha sendo mantida por políticos paulistas (estado que mais produzia café) e mineiros (estado que, se não produzia tanto leite, fazia queijo, e queijo é feito com leite), alternadamente (por isso que é “café com leite”).

Tudo ia “bem”, essa alternância dava “certo”, e o presidente sempre era ligado aos interesses do povo que eram os coronéis e grandes fazendeiros poderosos e cheios da grana. Só que, em 1930, o presidente (paulista) Washington Luís indicou Júlio Prestes (outro paulista) para a presidência, em vez de um mineiro. Os mineiros ficaram com raiva dessa exclusão, então formaram uma aliança com a Paraíba e o Rio Grande do Sul para eleger Getúlio Vargas presidente.

Fraudes na eleição à parte, Júlio Prestes ganhou, mas nada que um golpe de estado não resolva… Nisso, o governo caiu e Getúlio assumiu o governo provisório, fechou o Congresso e, mesmo prometendo convocar novas eleições e fazer uma nova constituição, demorou para cumprir as promessas (político é assim mesmo, desde o século passado…).

Nisso, os paulistas, sem representação política, sem poder, sem dinheiro, já com raiva do atual governo, depois de muitos atos, movimentos e manifestações políticas (um deles, em 23 de maio de 1932, foi tão violento que matou cinco quatro jovens, os MMDC), começaram um movimento armado (iniciado em 9 de julho de 1932, ou seja, há 85 anos) que queria constituição, representatividade e eleições diretas (POR SÃO PAULO!). Juntaram montes de gente, deram armas e partiram para as fronteiras do estado, com apoio de gente de todas as classes (porque a morte dos MMDC foi usada para comover o povo e mostrar que Vargas era cruel).

Lutando pela constituição e pela democracia (e por São Paulo). Foto (incrivelmente) em HD.

Só que tinha um problema: os paulistas estavam em minoria para lutar contra as forças do governo federal. Esperavam por apoio de outros estados (que também queriam a constituição nova e tals), mas ficaram só esperando (e vendo seus soldados morrerem). No final, se renderam em 3 de outubro do mesmo ano, sendo que os líderes do movimento foram exilados. A parte boa? Depois disso, o governo finalmente começou a fazer a Constituição de 1934 e falou sobre eleições (que não chegaram a acontecer, mas aí é outra (aula de) história).

Os paulistas gostavam de dizer que, sem essa revolução, a promessa da constituição não sairia do papel. Os getulistas, por outro lado, diziam que já fariam todas as mudanças em breve, não precisava de todo esse movimento (e mimimi) dos paulistas.

A praça 9 de Julho, em Sorocaba (SP), uma das tantas praças e monumentos que existem em SP dedicados à data e à Revolução.

Independentemente do lado que você prefere acreditar, é interessante notar que a política brasileira sempre vive de joguinhos, tramas e conflitos entre a situação (os que estão no poder) e a oposição (os que querem o poder de volta), desde sempre.

Ah, se os políticos estudassem história… Não fariam as mesmas coisas que já deram errado no passado (ou fariam, sei lá)

ClaMAN

P.S.: A próxima postagem da série será sobre a Independência do Brasil (7 de setembro).

P.S.2: Estudem história e não durmam na aula, por favor.

P.S.3: Lembrando que o blog ainda está em recesso e, por isso, nem a regra mínima de postagens está sendo seguida.

Cenas marcantes de beijos para ver no dia do beijo, segunda edição

…Porque a primeira não foi suficiente.

O Twitter ficou me enchendo o saco que hoje é dia do beijo (de novo) e, como eu fiquei devendo algumas cenas yuri na postagem sobre o (primeiro) dia do beijo desse ano…

Hoje, de novo, é dia de pensar em beijos (ou em quem você gostaria de beijar (consentidamente, por favor)). Também é dia de sentir falta de dar uns beijinhos (de novo citando o Twitter… Tem gente que está sem esse tipo de “contato” há mais tempo que este autor).

Enfim, se na primeira postagem eu atendi o público “geral”, agora é hora de ser esquerdista liberal e atender o público LGBT.

(Aviso: daqui para baixo tem spoilers de (animes:) Naruto (hã?), Kuzu no Honkai (de novo), Sakura Trick, (séries:) The L Word. Se não quiser ver cenas que podem revelar sobre a história, beije veja de olhos fechados.)

(Aviso 2: Se procura por cenas mais heterossexuais, recomendo que pare com essa homofobia e depois veja a postagem anterior sobre dia do beijo.)

Continue Lendo “Cenas marcantes de beijos para ver no dia do beijo, segunda edição”

Férias

Blog rodando no esquema mínimo de postagens para que o ClaMAN possa descansar.

Chegamos, enfim, em julho. Julho lembra frio recesso, que lembra férias, que lembra descanso, que lembra que posso dormir tarde e acordar tarde sem medo de ser feliz.

Só dormir já tá bom. Em um lugar quente e confortável, melhor ainda. Arte por Deco (Geigeki Honey)

Com esse fator em mente (julho = recesso = férias = descanso) e lembrando que, no mês passado, tivemos postagens com uma regularidade incrivelmente contada, esse mês terá recesso no blog.

Postagens a cada dois dias. Farei tudo nesse fim de semana e fico livre pelo resto do mês. Então, boas férias (se você for entrar de férias) ou bom mês de julho (caso contrário).

ClaMAN

P.S.: Não é greve de postagens. Não confundam.

B Ô N U S :

Eu sei que essa placa é feia e decadente, mas quem faz a manutenção dela entrou de férias também.

Brincando de contar os dias

Colocando os pingos nos Is e completando o calendário.

Hoje é o último dia de junho, sendo que amanhã começa férias julho. Isso pode não significar muita coisa para você (afinal, mudou o mês, mas amanhã será só um sábado comum, no fim das contas).

Só que, para um editor inútil, certas coisas comuns são motivos para postagem, como isso:

Ou seja, eu fiz o esforço de fazer postagem toda segunda, quarta e sexta só para fazer um UT bonitinho no calendário inútil que fica ali do lado? Sim.

Essa postagem de hoje completa o T? Sim também.

Eu vou continuar fazendo isso durante os meses seguintes para escrever “UTILIS INUTILIS” usando o calendário? Sim, pretendo, mas o mês que vem será uma exceção.

Afinal, duas postagens foram publicadas um dia depois do dia que eram para ser postadas (mas eu usei um recurso chamado “viagem no tempo” (leia-se: publiquei com a data alterada)) e ninguém percebeu isso.

Bem, essa era a meta do mês. Boa noite e bom mês de julho para vocês. Amanhã tem postagem.

Mensagem cheia de verdades dessa noite. Anime: Owarimonogatari

ClaMAN

P.S.: Início de julho = início de novas séries de animes. Temos algumas estreias yuri por aí…

Algumas verdades da vida #2

Dar sinal para um ônibus não é garantia de parada…

Não é só porque você dá sinal para um ônibus significa que ele vai parar para seu embarque. Ele pode não ter visto, ou pode estar cheio, ou pode ser um daqueles motoristas que simplesmente não gosta de pegar passageiros.

ClaMAN

P.S.: É ruim em caso de greve: você espera uma hora por um ônibus qualquer, aí ele passa direto por estar realmente cheio (nesse caso, atravessei a rua e, por sorte (e por ter dois ônibus juntos indo para o mesmo lugar) consegui pegar outro vazio, haha).

Resumão sobre viagens no tempo

Um pouco sobre como deve ser a sensação de viajar no tempo.

O mundo da ficção científica tem muitas vertentes (e não, não é só coisa espacial como Star Wars que conta como ficção científica). Uma delas é a de viagem no tempo.

Crossover (maneiro) por tr0yka.

Viajar no tempo é o conceito de voltar ao passado ou então de avançar para o futuro. Por enquanto, é uma coisa que existe apenas na ficção mesmo. Não deixa de ser combustível para diversas histórias de diversos gêneros.

O problema de viagens no tempo (principalmente para o passado) é o tanto de paradoxos que pode causar, por isso é um tema complicado de se trabalhar. Afinal, eliminar seu eu do passado faria seu eu (ou seja, você) do futuro sumir? É algo que cada autor prefere pensar de um jeito.

Só ilustração.

E bem, para concluir, por que personagens viajam no tempo? Pode ser para salvar alguém, pode ser para simples curiosidade científica (para um historiador, ver o passado com os próprios olhos deve ser legal, não é?), pode ser por qualquer outro motivo.

Um último motivo possível é quando um certo editor de um certo blog esquece de publicar a postagem no dia certo, e precisa voltar no tempo para postar no dia certo. Bem, funciona mais ou menos.

ClaMAN

P.S.: Um dia eu faço uma postagem sobre viagem no tempo decentemente.

P.S.2: Espero que essa seja a última vez que usarei esse método.

P.S.3: Dia 30 eu explico o motivo das viagens.

P.S.4: Aproveitar o tempo que eu ganhei voltando no tempo para assistir animes.